Exposição SÃO PAULO FANTASMA retrata lugares da cidade menos explorados

 

O ilustrador e ator Carcarah inaugura no dia 07 de junho sua sexta exposição individual, SÃO PAULO FANTASMA, em que mergulha nos ângulos menos explorados da principal metrópole da América Latina e a maior cidade da America do Sul, fascinante em sua multiplicidade, já cantada em prosa e verso por poetas como Caetano Veloso, Vinicius de Moraes, Tom Zé e tantos outros.

A exposição acontece no Teatro & Bar Cemitério de Automóveis, segunda casa de Carcarah, que é também ator e sócio do espaço, onde atua regularmente, e fez com grande sucesso o papel-título da peça “Killer Joe”, dirigida por Mario Bortolotto e já apresentada também no Rio, Curitiba e em outras capitais brasileiras.

"Eu gosto de desenhar São Paulo. Difícil é encontrar poesia no meio de todos esses cabos e fios e tantas janelas, árvores esparsas amordaçadas dentro do concreto e todos esses carros e pessoas apavoradas circulando freneticamente pela metrópole tóxica. São Paulo é uma cidade cruel e injusta. Ela é o travesti que dopa seu drinque numa noite qualquer, o traficante viciado que te vende droga falsa, o policial que estapeia sua cara. Talvez por isso eu goste de desenhar a São Paulo das madrugadas de domingo e segunda-feira, enquanto todo mundo se encolhe e dorme, seja num quarto em casa ou nas ruas entre papelões e cobertores, e apenas os ratos e baratas tomam conta das ruas do Brás e do Parque Dom Pedro II, da Lapa e da Barra Funda. As paredes descascadas dos prédios e das casas, o pavimento com naipe de cidade síria bombardeada, as antenas e os telhados, tudo ganha outro significado pra mim. O cheiro de podridão nas ruas. O som da metrópole assombrada e cheia de fantasmas parece um lamento perdido na noite, como o a sirene de uma ambulância cortando a Radial às 5h23 da manhã. Eu gosto de São Paulo de madrugada.",conta Carcarah.

SÃO PAULO FANTASMA traz vinte e seis obras de 26 a 60 cm em técnicas de aguada, nanquim e marcadores, todas criadas entre 2016 e 2018. E em seus títulos já se insinua a poesia capturada pelos olhos do artista:

 

Quando Não Tô Bebendo Tô Sentindo Dor 

Rolê do Gato 

Anfetamina e Mel 

Sad Sampa, Sad City 

Detalhes Desconstruídos 

Torre de Vigília 

Muito Longe Pra Ir a Pé 

Vivos 

De Ponta Cabeça 

Um Casarão Qualquer 

Passeio Podre 

Veias Azuis 

Não Tente Me Conhecer Muito de Perto 

Madruga Na Lapa 

Eu Gosto Quando Chove 

Busão de Domingo 

Sem Paisagem 

Um Gosto Nocivo Na Boca 

São Vito Profano #2 

Onde Encontro Aspirina? 

Vício 

Última Saída Para o Brooklin 

Sobrados 

São Paulo Fantasma 

Lado Alado 

Topos 

 

“Nesta exposição, que reúne ilustrações de bairros da capital de São Paulo com uma fidelidade fantasmagórica, você verá que Carcarah teve o atrevimento de colorir a cidade. Num primeiro momento você até poderá estranhar, mas, conforme for passando pelas telas, fatalmente verá que, apesar de colorida, São Paulo continua cinzenta, suja e fria, com seus edifícios bêbados onde não mora ninguém, mas da janela vê-se um anjo sobrevoando a cidade enquanto beija um homem.”,diz o poeta de dramaturgo Sergio de Mello, no texto escrito especialmente para o catálogo da exposição. 

 

ABERTURA: dia 07 de junho (5ªf), às 19h

LOCAL: Teatro & Bar Cemitério de Automóveis

Rua Frei Caneca, 384 – Consolação / SP  Tel: (11) 2371-5743

VISITAÇÃO: 3ª a domingo das 19h às 23h  - até 08 de julho

 

(Texto da assessoria de imprensa)