Entre em contato conosco

Destaque

[ENTREVISTA] Rapper Doug Lee versa a resistência nas batalhas de Salvador

Publicado

on

 

Douglas Willian Soares Cerqueira, mais conhecido como Doug Lee, é um MC que está mostrando sua brabeza nas batalhas de rap em Salvador (BA), espirrando sangue em seu verso cantado. Talentoso e intimidador nas disputas, o jovem anda em progresso e tem lançado suas músicas que são como tiros em um campo aberto e com alvos certos. 

 

LUAN FH – Douglas, faz quanto tempo que você acompanha a cena?

DOUG LEE – Conheci o gênero musical Rap através da minha mãe que me apresentou o grupo Ao Cubo, quando eu tinha na faixa etária de 8 a 9 anos de idade, e com a influência dos meus vizinhos e amigos comecei a escutar Racionais e muito Rap gringo como Eminem’, então por diante comecei a acompanhar o gênero por Lan house e revistas.

 

LUAN FH – E quanto tempo você está na cena?

DOUG LEE – Em 2016 escreve minha primeira poesia e música, e por influência da batalha do tanque(RJ) comecei a me interessar por batalhas e a primeira que eu visitei foi em 2017 (BATALHA DO LARGO PIRAJÁ), e em 2018 me firmei na cena começando minha carreira na batalha da BAC (Alto do cabrito), e comecei a lançar minhas músicas na plataforma YouTube e postar vídeos em minhas redes sociais e recitar poesia em locais públicos.

 

LUAN FH – Qual seu objetivo, seu foco?

DOUG LEE – Meu maior foco com a arte sempre foi me encontrar e me sentir bem para poder dar o melhor de mim para outras pessoas, fazer músicas para as pessoas esquecerem os problema por um instante e sorrir um pouco. Passar uma mensagem para as crianças das comunidades carentes, na maior humildade e respeito. Quero passar meus sentimentos para meus seguidores seja em um Rap Sad, Boombap ou Trap, etc. Quero criar uma representatividade e dar voz a comunidade da Ligia Maria(Marechal Rondon) que sempre foi muito mal vista, por isso cito em praticamente todas minhas composição o lugar de onde eu vim. Meu foco é crescer para poder dar oportunidades a outros artistas mostrar que a favela também pode e também tem direito… Tô indo com esforço e devagar já me sinto vencedor só de poder sonhar!

 

LUAN FH – Me fala um pouco do seu trampo?

DOUG LEE – Acredito que eu seja bastante original, uso influência e referências de coisas ao meu redor para meus projetos, acho que foi isso que me fez ficar conhecido por amigos e vizinhos como “Rei do refrão”, gosto de fazer o que eu quero, mas sem esquecer do público. Digamos que eu faça um pouco dos dois, misturo meu gosto com o gosto de outras pessoas. Gosto de ver pessoas se identificando por uma coisa que eu fiz ali sozinho no quarto…

   

 

LUAN FH – Qual a sua maior conquista desde que entrou na cena?

DOUG LEE – Tenho certeza que a maior de todas foi ver a favela gritar meu nome, se agitar e se emocionar quando eu cantei no palco algumas vezes. Eu mando uma energia para eles e eles me devolvem em dobro, é libertador, sabe? Sei que não estou sozinho nessa, existem números, tenho alcançado muita visibilidade dentro do meu bairro e reconhecimento e respeito, que é a base de tudo. 

 

LUAN FH – Você tem alguma referência, inspiração?

DOUG LEE – Não escondo de ninguém que no começo de tudo minha maior referência foi o Eminem, eu queria ser como ele, ter a métrica e flow dele. Só que quando comecei a fazer músicas e levar para o lado profissional, percebi que eu tinha que ser eu mesmo e foi aí que tudo mudou. Mas lógico que ainda tenho minha referências, acho isso fundamental. Se eu for escrever algo mais forte, marcante, estarei ouvindo muito de um MV Bill no meu fone e também DK47, se é que me entende… Mas uma Mob musical que me deu uma inspiração muito grande foi a Recayd e é claro, uma das maiores referência do Trap nacional Raffa Moreira.

 

LUAN FH – Lembra onde batalhou pela primeira vez?

DOUG LEE – Não tem como esquecer, lá estava eu na praça do final de linha do Alto do Cabrito, me incentivavam a colocar meu nome na inscrição da batalha, falaram ” Você leva jeito…” Fui mais pela cabeça dos outros e acabou que um ato simples de rimar em cima de uma batida com uma caixinha barata, mudou minha vida.

 

LUAN FH – Pretende lançar um EP?

DOUG LEE – Por enquanto não, no momento quero conquistar uma Fan-Page maior para poder fazer algo muito grande, mas estou com um projeto de mixtape muito forte com meu parceiro de carreira DiogoX. Estaremos lançando muitas músicas juntos assim como se deu início na faixa “Doug Lee – Na mira feat( Diogox).

 

LUAN FH – Tem alguma mensagem para passar, mano?

DOUG LEE – Quero deixar uma poesia, pode ser? 

LUAN FH – Claro, seu momento.

 

Que futuras Marielles possam viver com seguranças, que mais nenhum Marquinhos da Maré sejam assinados indo para escola, que o governo der atenção as escolas e não a próxima copa
Parem de desmatar, agricultores sentem fome e precisam de terra para plantar, Parem de criticar ou romantizar a depressão, vamos apenas ajudar
Facção? Facção, eles falam, falam, mas não são 2pac, insegurança o medo vem de quem “Socorre” Digitais influencer já esqueceram os noves jovens que perderam suas vida em paraisópolis ?
Ta tudo errado, Suicídio, Genocídio, Feminícidio, virou uma zona, pais onde é errado fumar um baseado mas para o nosso presidente é normal tacar fogo na Amazônia?!
Diabo veste farda, o mandante usa terno, filho de bacana sempre liberados, casos de como Rafa Braga? Sempre encarcerado
Por causa do racismo encubado a favela ta sagrando, me expliquem como a policia teve coragem de atirar? Kauan só tinha 12 anos…
Salvador terra sagrada, para família de Ágatha a pista foi sangrenta, acham mesmo que um pedindo de “Desculpas” a dor sustenta ?
A gente sempre joga a culpa no menino iludido que vive no mundo dos espertos, Mas pra AK 47 chegar na favela ela precisa do exército
Traficantes e Policiais em uma guerra sem fim? Quem lucra com toda nossa miséria nunca nem pisou aqui.
Brasil é um pais Homofóbico e Racista, cansado da hipocrisias dos políticos narizes de platinas, se é para morrerem pessoas, que seja fogo nos racistas
As Hienas querem as vidas das Leoas, que mais nenhum eleitor do Bolsonaro tire a vida de outro mestre Moa
Flamengo foi campeão? Apoiado na final, Brasil inteiro gritando “Vai Urubu” naquele momento, mas quem paga a  
indenização aos pais que perderam seus filhos no incêndio? 
Bolsonaro na presidência? A favela votou e isso eu vi, pela primeira vez eu vi jogador trocar camisa com juiz
NOS BECOS E VIELAS DE SALVADOR NA MÃO DA PETO, MEUS IRMÃOS SANGRARAM, MAS ISSO NÃO NOS CALOU, FORÇA E PUDOR, LIBERDADE AO POVO DE SALVADOR!

 

 DOUG LEE – Tenho uma mensagem para os MC’S e artistas: “Tudo começou com um freestyle  em uma praça vazia, sonhos e muitas esperanças, hoje em dia os crias são artistas e produtores, vocês acham mesmo que a favela não pode? Tem muito que melhorar ainda, não temos estrutura, somos independentes, só que tenho orgulho do meu corre, das minhas rimas. 2020 é meu, e sei que posso. Vitória sem luta é para Playboy!”.

 


ENTREVISTA DE LUAN FH – 20 anos, escritor e colunista, gosta do indie brasileiro e coisas antigas

 
 
 
 

Continuar Lendo
Clique aqui para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2020 | Customizado por Auditore Ideias Estratégicas