Com mais 300 peças do artista plástico Athos Bulcão, Mostra acontece em Belo Horizonte

Foto: Vicente de Mello

 

Athos Bulcão está na brasilidade das cores, nos traços inconfundíveis dos desenhos, na personalidade das pinturas, na lógica imprevista das fotomontagens, na força dos cenários e figurinos, na relação univitelina entre arte e arquitetura, no sagrado e no profano, na explosão da azulejaria brasileira. Esse universo riquíssimo, presente em Belo Horizonte no Edifício Oscar Niemeyer, no Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais e na Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação, compõe a exposição “100 anos de Athos Bulcão”, com curadoria de Marília Panitz e André Severo, que estará em cartaz no CCBB da capital mineira, a partir de 11 de abril.

Com a intenção de propor um profundo mapeamento e imersão na diversidade dos trabalhos e técnicas do artista, a mostra oferece ao espectador a possibilidade de conhecer o processo de produção do artista, com a exibição de mais de 300 trabalhos, alguns dos quais inéditos, realizados entre os anos 1940 e 2005. Obras de artistas mais jovens que direta ou indiretamente foram influenciados por Athos também serão apresentadas. Com o patrocínio do Banco do Brasil, realizada pela Fundação Athos Bulcão e produzida pela 4 Art, a exposição, que já esteve em Brasília, irá percorrer também as unidades do CCBB de São Paulo e Rio de Janeiro, ao longo desse ano.

Dividida em núcleos, “100 anos de Athos Bulcão” vai além da arte da azulejaria: destaca também a pintura figurativa do artista realizada nos anos 1940 e 1950, antes de Brasília. – A série dos carnavais e sua relação com a pintura sacra é extraordinária – afirma Marília Panitz, ao destacar que Athos Bulcão utilizou uma mesma estrutura composicional para trabalhos sacros e profanos, citando como exemplo A Vida de Nossa Senhora, que está na Catedral de Brasília. A mostra contém ainda os croquis que Athos Bulcão fez para o grupo de teatro O Tablado, do Rio de Janeiro, os figurinos das óperas Amahl e Os Visitantes da Noite de Menotti, paramentos litúrgicos modernistas, grande acervo de seu trabalho gráfico e até os lenços que desenhou quando estava em Paris.

Outro aspecto da exposição é a interatividade, desenvolvida a partir do caráter urbano e democrático da obra pública de Athos Bulcão inserida nas cidades. Através de um aplicativo criado especialmente para a mostra, o público será convidado a interagir e apropriar-se de projetos do artista.

 

Foto: Vera Matagueira

 

SERVIÇO

100 anos de Athos Bulcão

 

Visitação: De 11 de abril a 25 de junho

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte

Praça da Liberdade, 450 – Funcionários, Belo Horizonte/MG

Horário de funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h

Com patrocínio do Banco do Brasil

Assessoria de imprensa CCBB Belo Horizonte:

Bárbara Campos Guimarães |Tel.: (31) 3431-9412 | barbaracg@bb.com.br

Entrada franca | Livre para todas as idades

Produção: 4 Art Produções Culturais

Curadoria: Marília Panitz e André Severo