Entre em contato conosco

Álbum

[ENTREVISTA] O amor melódico de Byusuki e seu novo álbum “EVOL”

Matheus Luzi

Publicado

on

 

Sara Rebeca Cândido é uma cantora e compositora brasileira, nascida em Mossoró, no Rio Grande do Norte em 15 de agosto de 2000. Desde cedo, demonstra um grande vínculo com a arte. Na verdade, é como se a arte em si não tivesse um começo, uma data própria. A música a acompanha desde seu nascimento.

Viveu seus dez primeiros anos na cidade de Severiano Melo, no interior do mesmo estado, onde iniciaram-se seu arrojo e a sua paixão pela música. Vindo de uma família de maioria cristã, Sara cantava inicialmente na igreja, apesar de seus familiares serem bastante ligados à musicalidade e nunca deixarem faltar aquele velho violão em qualquer passeio nas tardes de domingo.

Sara voltou à sua cidade natal em 2010 (onde reside atualmente) ainda criança e começou a compor pouco tempo depois, tendo grande apreço pela poesia e o canto, os quais eram bastante comuns nos grupos artísticos online onde ela sempre gostou de interagir.

Tendo sofrido grande influência da música pop, Sara encaixa perfeitamente diversas letras incríveis em melodias marcantes. Seu último lançamento foi o álbum “EVOL” que conta várias formas de como amor pode se apresentar no dia a dia além de todo romantismo poético que já conhecemos muito bem.

Lançado dia 12 desse mês (julho 2020), o “EVOL” é uma parceria com diversos outros artistas independentes como Dcast, Renzo Viviano, Yorumann, $pirit Wave, Plustosh, Ponds e ElevenWav. Atualmente, o álbum já foi ouvido cerca de 6 mil vezes.

Hoje, Sara Rebeca atua no cenário musical brasileiro sendo reconhecida nacionalmente pelo nome de Byusukii e divulga suas músicas pelo spotify e youtube.

 

Nildo:  O que te fez entrar no mundo da música? inclui o início de sua paixão pelo ramo, quando começou a cantar, suas inspirações, seus artistas favoritos…

Byusukii: Bem, antes de responder as demais perguntas quero agradecer pela oportunidade de estar falando sobre minha arte contigo e com os demais que irão ler. A música para mim nunca foi uma opção, sempre esteve presente no meu crescimento. Meus pais sempre me influenciaram a cantar, fosse dentro da igreja ou fora dela, meu pai foi meu primeiro contato com voz e violão. Eu comecei a compor mais ou menos com uns treze ou quatorze anos e passei a usar o violão como instrumento principal aos dezesseis. Minhas principais influências foram e são Twenty One Pilots, Catedral, música pop como Demi Lovato, Katy Perry, Lady Gaga, Ariana Grande, mas eu sempre tive uma paixão pelo rock do Fall Out Boy e Panic! At The Disco. Não tenho dúvidas que Aurora e Tuyo são minhas principais influências nos dias de hoje.

 

Nildo: Dentro da música nacional, há algum gênero que você mais aprecie? E de qual gênero musical você se considera?

Byusukii: Dentro da música nacional eu aprecio muito o Funk e o Forró, também gosto bastante de MPB. Digamos que eu, no geral, seja pop, mas não gosto de me rotular, o “EVOL” prova isso, gosto de estar viajando entre vários gêneros musicais. Os que eu tenho muita vontade de trazer pra minhas músicas são Jersey Club e Hyper Pop, tá faltando muito disso no Brasil e não tenho dúvidas que não falta gente pra fazer acontecer.

 

Nildo: Você costuma criar um eu-lírico próprio para cada uma de suas músicas ou elas geralmente retratam um pouco da sua vida?

Byusukii: Sem dúvidas elas retratam um pouco da minha vida, nem que seja uma pequena situação. Minhas músicas são reflexões, ideias, mensagens, críticas, tudo isso que rola no mundo real. A ideia é que eu converse com o ouvinte de uma forma diferente, que eu traga pra ele uma visão minha, talvez de esperança, talvez de repúdio ou simplesmente amor.

 

Nildo: Sobre seu novo álbum, o “EVOL”, me fale um pouco sobre ele. Quando surgiu a ideia? Quais suas intenções em relação a mensagem que será passada?

Byusukii:  “EVOL” foi criado e conceituado em maio desse ano (2020) e tem a ideia de juntar vários artistas pra falar sobre amor de formas diferentes. O EP foi conceituado e composto por mim, Renzo Viviano, $pirit Wave (Cabelo), Dcast, Ponds, ElevenWav, Yorumann, criador da capa do EP, e tivemos o apoio do Plustosh na finalização do trabalho. Além deles também tiveram outros artistas que nos ajudaram na execução da mensagem que passamos para a nossa comunidade, queria poder mencionar todos aqui mas é muita gente e esse fato é o que me deixa mais feliz. A ideia de “EVOL” é que o amor seja repassado de formas diferentes, seja ele o romântico ou seja ele de força, garra pra alcançar objetivos ou orgulho de você mesmo e da sua luta. Este trabalho tem bastante significado em nossas vidas e sem dúvidas completamos nosso objetivo trazendo ele à realidade em um mês intenso de produção à distância.

 

“O mundo é belo, Deus usou a música para me salvar e agora eu quero partilhar esse amor por meio da música e das infinitas possibilidades que eu tenho de fazer isto.”

 

 

Nildo: Sabemos que a música tem um poder cicatrizante incrível. Como você se sente sabendo que suas canções podem estar ajudando a curar diversos corações partidos e clarear vários olhos embaçados pela hostilidade do mundo?

Byusukii: Me sinto já no meu sucesso. Muitas pessoas pensam que sucesso tem o mesmo peso de significância que fama, mas não, não propriamente você precisa de fama para fazer sucesso e isso é um fato. Eu já estou alcançando meu objetivo, sei que as pessoas tem colocado a minha música no coração e só de saber disso eu não desejo mais nada no mundo, só que isso aconteça mais. Quero ser apenas uma amiga que traz algo diferente pra gente poder dançar, conversar ou apenas pensar de forma diferente. O mundo é belo, Deus usou a música para me salvar e agora eu quero partilhar esse amor por meio da música e das infinitas possibilidades que eu tenho de fazer isto.

 

Nildo: Aliás, Sara, gostaria também de saber como você se sente sendo criadora de conteúdo em um momento de pandemia tão complicado como este que vivemos. Quais as maiores dificuldades? Como você faz para extrair inspirações iluminadas de momentos tão sombrios?

Byusukii: Bem, minha vida tem sido MUITO complicada nesse tempo de pandemia, o que me dá mais força são as pessoas que estão trabalhando junto comigo na área musical independente, cito meu coletivo musical chamado MUZA e minha comunidade artística @manifarte que tem me incentivado a ficar mais forte e continuar meu processo de composição. Tenho trabalhado dez vez mais que o normal pois meu emprego é de extrema importância, então pra produzir, compor e me dedicar aos meus trabalhos tem sido mais difícil, mas graças a Deus tudo tem ocorrido bem e não tem desculpinha, quem quer mesmo arranja um jeito e faz acontecer. A prova disso é que eu não tenho acesso à equipamentos pra execução do meu trabalho, eu gravo meu vocais e músicas pelo celular, tudo é feito com o mínimo de acesso que eu tenho pra fazer minhas músicas e isso só me dá mais incentivo pra continuar produzindo mais e mais.

 

Nildo: Outro ponto importante é que sabemos que nosso mundo está longe de ser livre de preconceitos. Então gostaria de te perguntar: como mulher, você encontrou alguma dificuldade na aceitação de seu conteúdo?

Byusukii: MUITA DIFICULDADE. É muuuuuuuuuuuuuito difícil você ficar em paz na cena musical sendo mulher. Deus me deu amigues que me ajudam, me apoiam, estão comigo, me protegem e me dão uma força TREMENDA, mas os mesmos sabem do que eu estou falando. Todos os dias é uma crítica diferente por estar ocupando o espaço onde estão muitos homens, eu tenho tentado manter minha cabeça saudável em relação a isso mas são coisas muito difíceis de se tolerar. Tem rapazes, na internet, que mal conhecem minha caminhada e tentam diminuir minha fala simplesmente por eu ser mulher, mas eu tenho aprendido a lidar com isto. Sou uma mulher forte e corajosa, disso não tenho dúvidas, estou aqui pra abrir portas e talvez quebrar algumas outras. Se há dificuldade, então está dando certo, estou no caminho certo, afinal, se subirmos rápido demais, a queda vai ser bem mais feia. Deixa rolar.

 

Capa do álbum “EVOL”

 

Nildo: Você saberia me dizer mais ou menos quantas vezes já escutaram seu álbum, o “EVOL”? E qual a sensação de estar voando pelas redes?

Byusukii: Foram quase seis mil vezes no total, eu lancei no dia doze de julho e de lá pra cá já é tudo isso. Bem, eu não sei o que sentir, eu estou muito feliz com isto tudo, estou muito feliz com a oportunidade de levar meus amigos e outras pessoas comigo. Minha maior felicidade é estar alcançando um público que está aberto a conhecer novos trabalhos, novas visões, novas pessoas na área musical independente. Estou absurdamente feliz.

 

Nildo: Muito obrigado, agradeço sua participação. Aqui você tem um momento para falar o que quiser, divulgar suas redes sociais, aconselhar quem está começando, contar um pouco mais da sua jornada, seus maiores sonhos… fique à vontade. Esse espaço é todinho seu, Byusukii.

Byusukii: Vocês podem me seguir nas redes sociais, procure “Byusuki” em qualquer uma delas e provavelmente você vai me encontrar. Se você trabalha com música ou tem um outro sonho qualquer, seja ele dentro desta área ou fora, saiba que só você pode fazer acontecer o teu sonho. Pessoas vão e vem, ninguém além de você mesmo pode te encorajar a isto. Você vai encontrar amigos que vão te ajudar e seguir essa caminha contigo, nunca esqueça de cada um deles, seja gentil e ame. Dinheiro não é tudo, faça o que você pode fazer pelas pessoas, se tocar no coração delas é o que você pode fazer, então faça. Fale pelos que não podem, lute ao lado de quem tá no corre, grite por mudanças e seja ativo na diferença. Ouçam músicas de artistas independentes, dê palco pro pessoal que tá começando, ouça mulheres, ouça música negra, ouça música nordestina, ouça gente de verdade. Num tempo como esse, com uma doença tomando o mundo e um governo destruindo nossa saúde, junte sua força pra lutar. Minhas músicas são pra pessoas reais de um mundo real onde existem diferenças e injustiças, onde podemos gritar, onde somos livres, onde vamos meter o aço em gente que tentar diminuir nossas vozes.

 

“Eu falo com o mundo sem ter medo de morrer

O meu orgulho e força tenho de sobra

Não permito que eu tenha mais que me esconder

Se tu pensa que morde, eu piso na cobra

E quando é que o medo vai deixar de atual?

E quando é que a liberdade deixará de ser ilegal?”

“Liberdade” – Byusukii, ElevenWav
(https://www.palcomp3.com.br/byusuki/liberdade/)

Idealizador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Viciadíssimo em música brasileira. Apaixonado pelo Brasil e pelos seus grandes artistas.

Continuar Lendo
Clique aqui para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2017 Zox News Theme. Theme by MVP Themes, powered by WordPress.